Último trimestre do ano anima o varejo

Pesquisa da CDL/BH revela que somente no mês de novembro devem ser injetados R$ 2,06 bilhões na economia da capital mineira.



A Black Friday se tornou uma das principais datas do varejo mundial. Neste ano, ela será impulsionada pela Copa do Mundo. Em Belo Horizonte, os comerciantes já estão se preparando para atender às demandas do período. De acordo com pesquisas da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), 73,6% dos lojistas acreditam que a Black Friday terá vendas positivas e 67,6% pretendem aumentar os estoques com produtos alusivos à competição mundial. A expectativa da entidade é que, durante o mês de novembro, sejam injetados R$ 2,06 bilhões na economia da cidade.


"Tradicionalmente, o último trimestre do ano, conhecido como super-trimestre, já aumenta a expectativa de vendas. Neste ano, teremos a Copa do Mundo, que vai gerar mais oportunidades de negócios para os lojistas. Nossas pesquisas revelaram que 47% dos comerciantes esperam que a proximidade da Copa com a Black Friday, e o Natal impulsione as vendas neste período", detalha o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.


Uma pesquisa realizada encomendada pelo Google à Offerwise revelou que seis em cada dez brasileiros já estão realizando pesquisas de produtos e preços para a Black Friday e Copa do Mundo. Essa antecipação tem feito os lojistas iniciarem, cada vez mais cedo, as estratégias de vendas. "O varejista compreendeu que, em um mundo cada vez mais acelerado, é preciso pensar a dinâmica de vendas com antecedência. O trabalho conjunto entre loja física e virtual precisa estar alinhado e atrativo, afinal, muitos consumidores realizam as pesquisas na internet, mas finalizam no estabelecimento", aponta o dirigente.