A música pode ser boa, mas o espetáculo é melhor


Vocês vão a um show ao vivo pela música ou pela performance? Para escutar a sua música favorita ou para ver aquele cantor ou banda favorita ao vivo? Talvez pela atmosfera ou para compartilhar seu amor por aquele artista? Se a resposta é pela música, estão fadados ao fracasso… Um show ao vivo não é um dos melhores lugares para se apreciar a música, especialmente se ele ocorre em um estádio de futebol como em muitas cidades brasileiras. A acústica deixa muito a desejar, sem contar que o palco e os lugares da platéia são reaproveitados, logo não são dos melhores também.

Uma das definições de espetáculo é: uma apresentação pública que tem a intenção de entreter. Esta é palavra-chave! Entretenimento. Vamos a um show para sermos entretidos, para ver um artista ou banda fazer uma performance. Esse é o objetivo. Se você quer escutar música com clareza é melhor ficar em casa e investir em um bom sistema de som. Um show ao vivo é para aqueles que querem curtir a atmosfera, criar memórias, compartilhar com outras pessoas o seu amor e admiração por quem está no palco. Tenho até uma amiga, Priscila, que prefere ver uma banda ao vivo a escutar música. Ela está sempre indo em shows e festivais, mas quase nunca escuta música em casa ou em outro contexto.

Portanto, foi ela a escolhida para me acompanhar no show do Guns’n'Roses no dia 13/09 no Mineirão. Para nós foi um show sensacional! Que valeu cada centavo do ingresso. Muitos podem discordar de nós, principalmente com um cantor tão controverso como o Axl Rose. Já estamos cansadas de ver notícias sobre como sua voz falhou nesse ou naquele show - algo compreensível quando consideramos que ele sempre teve uma voz mais aguda, cometeu vários excessos ao longo dos anos e vem se apresentando e cantando há mais de 40 anos… Haja garganta.

Porém, não foi essa a nossa experiência. Tivemos a oportunidade de vê-lo cantar por mais de 3h, além de uma performance incrível. Ele anda por todo o palco, canta, pula e faz estripulias durante todo o show. Sua energia e sua presença de palco são maravilhosas, mesmo não conhecendo todas as músicas nós ficamos em pé e acompanhamos tudo. Ele te anima e te faz querer aproveitar ao máximo! Além de trocar de figurino mais que a Madona - até para o bis e, depois, para se despedir da platéia! Aliás, todos os integrantes da banda foram sem igual! Quão espetacular não foi poder contemplar ao vivo dois outros integrantes originais da banda: Duffy e Slash. O segundo é foi um show à parte. Que técnica, que brilhantismo. Tocou o show inteiro sem falhas e sem descanso, emendando uma música na outra e ainda fazendo solos de guitarra. E no final ainda saiu plantando bananeira…

Assim, posso dizer sem ter que pensar muito que foi um dos melhores shows que já fui. Entendo que as pessoas possam ficar decepcionadas com seus cantores ou bandas preferidas quando esses não atendem às suas expectativas em uma apresentação ao vivo. Contudo, temos que entender que eles são seres humanos e, por isso, passíveis de falhas, especialmente se forem artistas do universo do Rock que provavelmente fizeram de tudo e mais um pouco na juventude. Ir para um show é mais que simplesmente ir ver e escutar uma banda tocar, é sentir no corpo as batidas da música, é experienciar uma atmosfera única, pois nenhum show é ou será igual a outro.