Blues e jazz esquentam São Lourenço em noites de frio

Shows reúnem bandas e músicos nacionais e internacionais no final de semana; evento faz parte de tradicional festival realizado também em Tiradentes




A etapa de São Lourenço do Festival de Blues e Jazz de Tiradentes 2022 trouxe grandes nomes nacionais e internacionais dos dois estilos, que deram origem a tantos outros ritmos da música.


Realizado pela Production Eventos, o evento aqueceu e embalou as noites da cidade no Sul de Minas, de 20 a 22 de maio, que ficou lotada de visitantes de diversos cantos do País. A próxima edição do Festival de Blues e Jazz acontece de 23 a 25 de junho, em Tiradentes.


A programação do Festival de Blues e Jazz teve início na sexta-feira, quando o Savoy Jazz Trio mostrou todo o swing que caracteriza o jazz e fez o público balançar ao som da voz de Luiza Luz, da guitarra de Abraham de Assis, do contrabaixo acústico de Anderson Bacha e da bateria de Gilson Negron, interpretando grandes nomes do blues e do jazz, como Duke Ellington, John Coltrane, Miles Davis, Charlie Parker, Thelonious Monk, entre outros.


Na sequência, subiram ao palco Alexandre da Mata e Black Dogs, representantes do melhor do blues nacional. Guitarrista, compositor e produtor musical com mais de 25 anos de carreira e apresentações em palcos do Brasil e exterior, Alexandre encantou a galera com sua técnica e estilo único, acompanhado por grandes músicos, como Irene Dias (vocal), Danilo Temponi (bateria), Cinara Motta (baixo) e Sandro Veríssimo (teclados).


O último show da noite de sexta foi do cantor e guitarrista norte-americano Mark Lambert e o Trio MPA, que trouxeram para o público pérolas da música pop norte-americana e britânica, incluindo sucessos de Al Green, Sting, Rolling Stones, Elton John, entre outros; junto com pitadas de Soul, Funk (de raiz) e R&B. A galera vibrou com os solos da guitarra de Mark Lambert e com a performance dos músicos Vanessa Rodrigues (órgão) e Roberto Alemão (bateria).


As noites do Festival de Blues e Jazz de São Lourenço continuaram quentes no sábado, quando chegou a vez do Intrépido Blues Quarteto, banda natural de Minas que nasceu do D’Assis Trio com o intuito de trazer a memória dos grandes clássicos do Blues. Abraham Assis (guitarra e voz), Felipe Brandão (guitarra e voz), Anderson Souza (Baixo) e Daniel Dito (bateria) fizeram a galera se aquecer interpretando grandes talentos do blues, como Eric Clapton, B.B.King, Roben Fourd, entre outros.


Depois do quarteto, quem brilhou também no palco do Festival foram os mineiros Bruno Morais (guitarra e vocal), Felipe Duarte (guitarra e vocal), Dayvid Castro (baixo e vocal) e Alessandro Brito (bateria), músicos de O Bando, que mostraram o melhor do blues e do rock, fazendo o público balançar ao som de clássicos de Eric Clapton e Jimi Hendrix.

Com grande performance, o norte-americano Lorenzo Thompson fechou com “chave de ouro” a noite de sábado.


Com uma carreira marcada por apresentações em todo circuito de Blues Americano e em festivais importantes em todo o mundo, ao lado de artistas consagrados como Son Seals, Koko Taylor, Huey Lewis and The News e Lonnie Brooks, Lorenzo encantou a plateia em São Lourenço com seu estilo marcante, sua interpretação vigorosa e sua contagiante energia.


Foto: Juninho Adonai / Tribus Studio