top of page

Brasil gera 135 mil novos postos de trabalho em novembro

Minas Gerais registrou um saldo positivo de 4.279 novos postos criados, confirmando a tendência de crescimento pelo décimo mês consecutivo.


Marcelo Camargo / Agência Brasil


O Brasil criou em novembro 135.495 postos de trabalho formal, segundo as Estatísticas Mensais do Emprego Formal do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), divulgadas nesta quarta-feira, 28, em Brasília.


O resultado positivo de novembro decorre do total de 1,748 milhão de admissões, ante 1,612 milhão de demissões. No ano, o saldo até novembro é de 2,466 milhões de empregos formais criados. O estoque total de carteiras assinadas no país chegou a 43,144 milhões.


O grupamento de atividade econômica que mais gerou vagas em novembro foi o comércio: 105.969 novos postos de trabalho. Nos serviços, foram 92.213 empregos criados. Houve queda, contudo, na indústria, que perdeu 25.707 vagas, devido a uma pressão negativa do setor sucroalcooleiro, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego.


O resultado ficou positivo também em quatro das cinco regiões do país. O Sudeste abriu o maior número de vagas, com saldo positivo de 84.164, seguido por Nordeste (29.213), Sul (20.750) e Norte (3.055).


Minas Gerais


Quando analisado separadamente, os dados do Caged apontam que Minas Gerais manteve seu aquecimento econômico dos último quatro anos. Somente em novembro, o Estado registrou 185.845 admissões contra 181.566 desligamentos, um saldo positivo de 4.279 novos postos criados, confirmando a tendência de crescimento pelo décimo mês consecutivo.


De janeiro de 2019 até o mês passado foram criadas mais de 630 mil vagas formais. Somente em 2022, o estado já responde pela geração de 222.823 postos de trabalho com carteira assinada.


Seguindo a tendência nacional, o setor que liderou a geração de empregos em Minas também foi o de comércio, com 9.725 novos postos, seguido pelo de serviços (3.359). O grupamento que apresentou maior crescimento no período é composto por três segmentos, que unem comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas; comércio por atacado (exceto veículos automotores e motocicletas) e comércio varejista.


Fonte: Agência Brasil/ Agência Minas

bottom of page