Choque de gestão para atingir a excelência

Atualizado: 13 de out.

Superintendente executivo do Hospital Evangélico revela como a administração da instituição filantrópica conseguiu encontrar o caminho da sustentabilidade financeira.


Foto: Divulgação CC / Hospital Evangélico


Embora seja filantrópico, o Hospital Evangélico de BH tem investido em novos equipamentos e numa gestão eficiente, a fim de atingir a excelência. Exemplo disso é o novo Centro de Especialidades Médicas, inaugurado em agosto no bairro

Funcionários, para atender a clientes de operadoras de saúde e particulares.


Com 11 consultórios que abrangem 25 especialidades, o novo espaço tem uma área de imagem, com capacidade para realizar diversos exames e oferecer diagnósticos mais precisos. Com a inauguração do centro, o andar térreo da unidade hospitalar na Serra ganhou um espaço para a ampliação do Pronto Atendimento, também direcionado para captação de cirurgias eletivas, de pacientes de planos de saúde e particulares.

Estão previstos, ainda, 20 novos leitos de CTI e mais cinco salas do Bloco Cirúrgico, o que permitirá ampliar o volume de cirurgias realizadas na unidade. Outra obra em curso é a expansão do Centro de Nefrologia de

Contagem, que aumentará em 70% a oferta do tratamento em hemodiálise para as cidades da RMBH.


Fundado há 76 anos, o Hospital Evangélico de Belo Horizonte tem, atualmente, 10 unidades de atendimentos médicos, hospitalar e de educação, situadas: na capital mineira, em Contagem e em Betim, na RMBH.


Em agosto de 2021, o grupo iniciou um profundo choque de gestão que, entre outros resultados, possibilitou encontrar o caminho da sustentabilidade financeira, com incremento de 28% no comparativo com o ano anterior.


Nesta entrevista ao CIDADE CONECTA, o superintendente executivo da instituição, Perseu Perruci explica como a instituição irá trabalhar para atingir a meta de crescer entre 30% e 40 e reduzir custos em 5%.


Quais os resultados do choque de gestão até o momento?


O choque de gestão tem percorrido todas as unidades. Nosso propósito é garantir atendimento de qualidade, com um modelo de gestão focado na melhoria dos processos internos objetivando aumentar a eficiência assistencial, buscando a melhor experiência para o nosso paciente e oferecer uma estadia de qualidade. Em curso, estamos implantando o sistema Tasy, que permitirá interligar os dados para uma gestão inteligente do negócio e iniciamos, também, os preparativos para a acreditação pela Organização Nacional de Acreditação (ONA).


Como tem sido 2022?


Sem dúvida, um ano de grandes desafios. Tivemos no primeiro momento o aumento do custo de insumos básicos como o soro fisiológico, que passou de R$ 4,60 para R$ 26,00. O produto é fundamental para a realização das, aproximadamente, 78 mil sessões de hemodiálise que fazemos mensalmente. Nos últimos dias, a aprovação do piso salarial é outra questão que estamos equalizando internamente, para que essa despesa extra não venha a impactar a sustentabilidade financeira da instituição.


Como manter a trajetória de crescimento no atual cenário?


É fato que os recursos do SUS não cobrem os serviços contratados. A tabela permanece sem reajuste há mais de uma década e a nossa demanda aumenta em dois dígitos todos os anos. Somos, hoje, o maior parceiro do SUS em realização de sessões de hemodiálise de Minas Gerais. As unidades da capital, Contagem e Betim atendem pacientes de diversas cidades da RMBH onde não existe a oferta desse serviço. Da mesma forma, o Centro de Oncologia, em Betim e as duas clínicas de Oftalmologia, também priorizam o atendimento, via SUS.


Qual a importância das parcerias para o Hospital Evangélico?


O nosso setor de Captação de Recursos desenvolve um trabalho que objetiva gerar, de forma complementar, receita para que a instituição possa fazer melhorias necessárias para um atendimento de excelência e garantir meios para a sustentabilidade financeira da Instituição. Temos, atualmente, uma parceria importante com o

Supermercados BH, “Troco do Bem” para o Complexo de Serviços de Saúde de Betim e estamos iniciando, em outubro, o projeto

“Um Toque de Arte Muda o Quadro”, que vai promover diversas ações para angariar recursos para a ampliação do atendimento e estruturação do Centro de Oncologia, para receber um mamógrafo novo, no início de 2023. Outras negociações estão em fase de fechamento nos próximos dias.


Posts recentes

Ver tudo

Per Lui