Colaboradores do Clube de Permuta terão jornada de trabalho de quatro dias semanais



O mercado de trabalho tem passado por mudanças, principalmente, após o período de isolamento provocado pela pandemia da Covid-19. Novos modelos surgiram e outros ganharam força, um deles é em relação a jornada de trabalho. No Brasil, por exemplo, o Clube de Permuta, que integra o segmento tech, vai adotar a jornada semanal de quatro dias a partir de 1º de agosto.


Fundada pelo empresário Leonardo Bortoletto há 10 anos, a empresa é a maior plataforma de permuta multilateral da América Latina, certificada e auditada pela Associação Internacional de Comércio Recíproco - IRTA, com 22 franquias espalhadas pelo Brasil e mais de 1.600 associados, entre empresas e profissionais liberais.


“Nossos colaboradores vão trabalhar de segunda a quinta-feira, tendo a sexta-feira livre para que possam resolver suas questões pessoais, descansar, viajar etc.

Com a carga horária reduzida, a produtividade tende a aumentar, já que os colaboradores precisam se organizar melhor para cumprir suas entregas. O modelo de jornada reduzida, de 40 para 32 horas semanais, sem alteração de salário, exige planejamento, acompanhamento constante e atenção à legislação trabalhista e à cultura organizacional. Neste contexto, a gestão de pessoas inclui a criação de metas e indicadores e o controle diário das atividades e tarefas executadas, além da retenção de talentos”, destaca Leonardo, que retornou de Portugal em junho, onde também conheceu experiências corporativas neste sentido. O Clube de Permuta está internacionalizando sua marca. O processo começou pela América do Sul, na Colômbia, em 2022, e segue para a Europa, a partir de 2023.


O pioneirismo em sua atuação é uma característica do perfil profissional de Leonardo Bortoletto e de suas empresas. Em 2015, muito antes de se falar em home office de forma oficial no Brasil, ele fechou a estrutura física da empresa de tecnologia fundada há 20 anos e colocou todo mundo para trabalhar de casa, com escritório virtual e tudo acessado via nuvem. Nesta época também implantou o projeto papel zero, abolindo o uso de documentos físicos, usando o modelo digital para todos os arquivos de suas empresas. O mesmo modelo é usado pelo Clube de Permuta há 10 anos.  


Experiência comprovada


Empresas em países como Islândia, Reino Unido, Bélgica, Nova Zelândia, Escócia e EUA já colhem o sucesso desse novo modelo de jornada profissional. Os regimes mais flexíveis de trabalho foram motivados, em sua maioria, pelo esgotamento profissional, condição oficializada na lista da Organização Mundial da Saúde (OMS). 


No Brasil, 61% dos trabalhadores consideram mudar de emprego em caso de problemas de saúde mental e 74% acreditam que seriam mais produtivos em uma semana de quatro dias (dados da plataforma de recrutamento Indeed). Os principais motivos são felicidade, saúde mental, satisfação profissional, produtividade e eficiência. ”É exatamente o que buscamos para nosso time com a redução da jornada semanal”, conclui Bortoletto.


Para saber mais: http://www.clubedepermuta.com.br/


Foto: Divulgação JC / Clube da Permuta


Confira outras notícias (AQUI)



Posts recentes

Ver tudo

Per Lui