Com expectativa de ralizeiros de todo o País, Rali da Chapada abre inscrições para segunda edição

Percurso de 158 quilômetros tem a participação de veículos 4x2 e 4x4 do Vale do Capão até a Fazenda Pratinha, pelo interior da Bahia; largada acontece dia 14 de janeiro de 2023

Categoria para veículos 4x4 tem regulamento mais difícil (Foto: Pixabay)

Já estão abertas as inscrições para a 2ª Edição do Rali da Chapada que acontece em janeiro na Bahia, mas com a participação de equipes de todo o País, inclusive de Minas Gerais. O primeiro lote promocional, a R$ 200,00, dá direito a duas camisas no estilo dry fit, para piloto e navegador, além de brindes exclusivos para os primeiros inscritos na prova (para todas as informações acesse o link AQUI).

A competição tem trajeto de 158 quilômetros na região da famosa Chapa Diamantina, do Vale do Capão até a Fazenda Pratinha, no interior baiano. A largada será às 9h do dia 14 de janeiro de 2023, um sábado, no Vale do Capão, distrito de Palmeira. O percurso inclui estradas de chão e a BR-242 e vai até a Fazenda Pratinha, em Iraquara, onde os participantes podem desfrutar de uma espécie de Day Use no local.


Maior adesão


Os organizadores do evento esperam que a participação, nesta edição, seja maior que a anterior, quando 70 veículos, entre modelos 4x2 e 4x4, participaram da prova. No percurso, ladeiras, estradas de difícil acesso, lama e etapas da prova que contam com a participação de moradores do entorno. O lado fácil da brincadeira só por conta das belezas exuberantes da Chapada Diamantina que serão contempladas a todo o momento – durante a competição.

O percurso tem previsão de ser completado em, no mínimo, quatro horas e por ser um rali de aventura mais no estilo de regularidade, não adianta ter pressa em chegar primeiro. Vence quem completar todas as tarefas da prova, com menos erros, em um menor espaço de tempo.

Quem assina o roteiro da prova é o hexacampeão brasileiro de Rali 4x4, Roberto Cunha. Segundo ele, para o participante que vai com um veículo 4x2, os desafios serão moderados. “Já quem for à bordo de um 4x4 tem o privilégio de passar, mais facilmente, em vários trechos da prova, mas o trajeto é maior e mais dificultoso para essa categoria”, garante.

Diferentemente da primeira edição, essa segunda prova, terá dois percursos para os corredores, sendo que o maior será realizado por quem estiver com um veículo de tração 4x4.


Palmeiras é vila


Um dos mais famosos destinos da cidade de Palmeiras, o Vale do Capão, é uma pequena vila recuada e habitada por cerca de 3 mil pessoas numa espécie de buracão – rodeado de montanhas e vales. O pequeno vilarejo, incrustado em meio à exuberante natureza da Chapada Diamantina e com ares esotéricos, atrai turistas que desejam contato direto com as belezas da região e foi, justamente, por conta dessas atribuições que se deu a escolha pelo lugar como sede da segunda edição do Rali da Chapada.

O Capão, por sinal, ponto de largada da competição, fica distante 30 quilômetros da sede da cidade de Palmeiras que celebra, no fim de semana da prova, 132 anos de emancipação. Palmeiras, aliás, é uma cidade rica em atrações turísticas: é nela que está o principal cartão postal da Chapada Diamantina, o Morro do Pai Inácio (local da nossa primeira edição do Rali da Chapada).

Por lá também está a famosa Cachoeira da Fumaça e as também nem tão famosas mas tão belas quanto Cachoeira da Angélica, da Purificação e do Riachinho. A trilha das Águas Claras é outro destino de Palmeiras que também abriga um dos trekkings mais bonitos do mundo, o Vale do Pati – que faz parte do Parque Nacional da Chapada.


Cidade das grutas


A cidade de Iraquara, conhecida como cidade das grutas está localizada sobre uma verdadeira galeria subterrânea com aspecto de "queijo suíço" encoberta por água, o que torna o município com o segundo maior lençol freático do Brasil e o mais rico em recursos hídricos da Chapada Diamantina.

Nela estão diversas cachoeiras, grutas e cavernas, sendo que boa parte é encontrada dentro de uma propriedade privada, a Fazenda Pratinha – ponto de chegada do Rali da Chapada. É lá na Fazenda Pratinha, da Família Solon, que ao final da prova, os participantes poderão desfrutar do local considerado o “Oásis do Sertão” que tem a terceira água mais cristalina do mundo e onde fica a Gruta Azul e a Gruta Lapa Doce entre outras.

Após enfrentar diversos obstáculos e muita adrenalina, os ralizeiros terão a oportunidade de relaxar da competição aproveitando as diversas opções da propriedade, inclusive, o gelado e energizante banho do Rio Pratinha, com águas tão límpidas como seu próprio nome diz.


Veja como foi a edição anterior. Imagens:

Fotos: N2 Comunicação Integrada & Eventos / Divulgação

Posts recentes

Ver tudo

Per Lui