Conselheiros do Cruzeiro aprovam SAF de Ronaldo

Novos gestores têm por obrigação quitar dívidas do clube, fazer investimentos, mas receberam as propriedade das Tocas da Raposa I e II.

Depois de pressão dos torcedores, a Sociedade Anônima do Futebol (SAF) do Cruzeiro foi aprovada nesta segunda-feira, 4, de forma unânime pelos conselheiros do clube presentes no Parque Esportivo, no Barro Preto, em BH. Em votação aberta, os conselheiros decidiram pela transferência da propriedade das Tocas da Raposa I e II à SAF, condicionada à amortização de toda a dívida tributária da associação e obrigação de divisão igualitária entre as partes de lucro imobiliário que eventualmente vier a ser obtido em venda dos imóveis. Também foi admitido o pedido de Recuperação Judicial ou extrajudicial do clube.

Uma atração da reunião foi o ex-jogador Ronaldo, responsável pela gestão da SAF junto com um sua equipe de executivos.

A partir de agora Cruzeiro e Ronaldo farão os ajustes finais para a assinatura do contrato de venda de 90% SAF, cuja data limite é 18 de abril. O gestor tem como primeiro desafio pagar o transfer ban imposto pela Fifa, que impede o registro de contratações, no valor de R$ 13,5 milhões pelas dívidas de dois jogadores (Kunty Caicedo e Careca).

Antes mesmo do acordo aprovado, Ronaldo já havia aportado R$ 40 milhões no clube para quitação de dívidas de outros transfer ban. Existem outros R$ 350 milhões, mas estes recursos, pelo acordo inicial, estão atrelados a receitas incrementais. Ou seja, será calculada a média das receitas do Cruzeiro entre 2017 e 2021. Caso a SAF não alcance o número determinado pela média, Ronaldo precisaria aportar investimentos a partir de 2022.

O Cruzeiro tem até 12 de abril, para registrar novos atletas para a Série B do Brasil. Pelo menos cinco contratações engatilhadas aguardam a resolução. São elas: goleiro Gabriel Mesquita, volante Neto Moura, meia-atacante Leonardo Pais, e os atacantes Rafael Silva e Rodolfo.



Fotos: Cruzeiro / Divulgação


Posts recentes

Ver tudo

Per Lui