Executivos debatem desafios da área de finanças em BH

Confraternização mostra a vocação do IBEF-MG em fomentar networking qualificado entre profissionais da área.



Para marcar o início do segundo semestre, o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças de Minas Gerais (IBEF-MG) realizou um evento de confraternização para associados, executivos de finanças, autoridades, jornalistas e convidados em geral.


Já tradicional, a “Noite de Vinhos & Queijos”, no Villa Celimontana Ristorante, em Lourdes, recebeu cerca de 70% do PIB de Minas. Na ocasião, foram discutidas as oportunidades de negócios, momento político do Brasil e do mundo, e os desafios das finanças neste mundo de incertezas. Executivos premiados nacionalmente estiveram no evento, tais como Ricardo Salera (Fiemg) e Edmar Paiva (Pottencial Seguradora).


O IBEF-MG tem se tornado cada vez mais uma referência de qualidade de informações, proporcionando também um networking qualificado para os profissionais, sendo também uma entidade, que pelas suas conexões, gera muitos negócios para as empresas que são associadas.


Marcaram presença os principais executivos de finanças das principais empresas mineiras, dentre elas: A&C, Copasa, Prime Holding, BIOMM, Pottencial Seguradora, RKM Engenharia, Cardan Engenharia, Colégio Arnaldo, Laboratório Lustosa, Laboratório Hermes Pardini, Fiemg, Sicoob, Solutions Gestão de Seguros, Moura Tavares Advogados e Coimbra Chaves Batista Advogados.


O presidente do IBEF-MG, Júlio Damião, destacou a noite de confraternização e a retomada dos eventos presenciais.

“Temos um grande desafio no segundo semestre de 2022, as incertezas e volatilidades dos mercados irão continuar e os profissionais de finanças precisam estar preparados para isso”, observou.


Segundo ele, é momento de esquecer o profissional de finanças que fica "fechado" em sua área. “Hoje é fundamental estar cada vez mais conectado com o mundo, precisamos entender de cenários econômicos e políticos, as conexões entre blocos econômicos (o custo logístico entrou no radar), impactos tributários, entender a estratégia da empresa e ações para se proteger da inflação”, avaliou.


Na sua opinião, saber comunicar

corretamente para o CEO e o board sobre os riscos corporativos é saber construir e gerir uma equipe de alta performance.

“Temos esse compromisso com os associados e empresas, sendo uma entidade que entende os desafios e que possa tornar-se uma referência para os profissionais de finanças e para o mercado", afirmou.



Fotos: Divulgação CC / IBEF-MG



BOA NOTÍCIA GERA NOTÍCIA BOA!

OFERECIMENTO

1/1