Instituto de pesquisa mineiro é o primeiro a investir em tecnologia mobile

Com sistema próprio e inovador, questionários são enviados aos entrevistados por meio do aplicativo mais utilizado no Brasil, com agilidade e total segurança e respeito à Lei Geral de Proteção de Dados.



O WhatsApp é o aplicativo mais utilizado no Brasil, segundo levantamento feito pelo Panorama Mobile Time/Opinion Box – Uso de apps no Brasil, em 2021. Os números são impressionantes: 99% dos brasileiros têm o WhatsApp instalado em seus smartphones e 93% usam o aplicativo todos os dias.


Pensando nisso, o Instituto de Pesquisa e Inteligência Mobile (Ipimob) – startup mineira criada durante a pandemia – desenvolveu uma tecnologia própria e inovadora para aproveitar a grande presença de brasileiros no WhatsApp em prol das pesquisas de mercado e/ou eleitorais.


Por meio de Inteligência Artificial, a plataforma utiliza o aplicativo para enviar as perguntas ao público selecionado, obtendo resultados com muito mais agilidade e segurança. “Dentro do ambiente WhatsApp, as informações são criptografadas, permitindo maior segurança na coleta dos dados”, explica o empresário Joel Moreira, um dos nomes à frente do Ipimob.


Nesta entrevista ao CIDADE CONECTA, Joel explica mais sobre o Instituto e revela dados de uma pesquisa feita com caminhoneiros de todo o Brasil por meio da plataforma.


Como surgiu a ideia de criar uma tecnologia de pesquisas mobile?


Sabemos que a pesquisa de mercado ou eleitoral é uma ferramenta poderosa para ajudar pessoas e empresas em momentos de tomada de decisões. No entanto, muitas acabam desistindo por acreditarem que elas são caras. No Ipimob, nosso objetivo foi criar uma tecnologia para reduzir os valores finais da pesquisa e, consequentemente, ampliar o acesso.


Quais os diferenciais do instituto frente a outras instituições de pesquisa?


Além dos já citados – redução dos custos e acesso ampliado –, o Ipimob permite mais agilidade e personalização nos levantamentos tanto de mercado quanto de satisfação, além de pesquisas políticas. Utilizamos o WhatsApp para enviar os questionários para os entrevistados, o que garante maior segurança, já que, dentro do ambiente do aplicativo, as informações são criptografadas. As pesquisas são individuais, todas elas processadas com o nome do proprietário do número, e os resultados são em tempo real com a conexão de resposta de cada usuário. É possível criar pesquisas automatizadas, podendo obter respostas de múltipla escolha ou discursivas, com nossa tecnologia para levantamento e tratamento das informações. Usamos o que há de moderno em matéria de tecnologia e segurança, e seguimos todas as normas da Lei Geral de Proteção de Dados.


Como o cliente pode ter acesso aos resultados da pesquisa?


Os dados apurados pelas pesquisas são organizados pelo nosso sistema em gráficos produzidos em tempo real, permitindo análise simultânea. O gerenciamento das informações é feito em ambiente moderno, de fácil manuseio e muito seguro, com níveis de segurança que garantem a proteção das informações. A plataforma possibilita o acesso a um vasto universo de informações, fazendo um verdadeiro raio-X de dados relevantes, permitindo uma melhor tomada de decisões e ações operacionais, gerenciais e comerciais. Tudo isso na palma da mão.


Cite um exemplo de uma pesquisa já realizada pelo Instituto e seus resultados.


No período entre 21 e 29 de março deste ano, fizemos um levantamento junto aos caminhoneiros de todo o Brasil. Enviamos perguntas a 1.924 profissionais, sendo que 43% estavam na região Sudeste; 29% na região Sul; 7% no Centro-Oeste; 17% no Nordeste e 4% na região Norte. Apenas 4% do público era do sexo feminino e 96%, do sexo masculino. Entre os dados apurados, podemos destacar o fato de que, para 49% dos entrevistados, o aumento nos combustíveis impactou negativamente seu trabalho, diminuindo muito a demanda por serviços. Para 70% dos ouvidos, o preço dos combustíveis está muito acima do normal. Por causa dessa e de outras dificuldades enfrentadas, 42% apontaram que sempre pensam em mudar de profissão, 34% algumas vezes pensam em mudar de profissão, 7% gostariam de mudar e apenas 17% estão satisfeitos e nunca pensam em trocar de profissão. Para apurar todos esses dados referentes a um público espalhado por todo o País, seriam demandados vários dias, com um alto investimento em profissionais para levantamento e análise das informações no modelo tradicional. Porém, com a tecnologia do instituto, foi possível concluir a pesquisa e apresentar os resultados em pouquíssimo tempo.


O sr. acredita que a tecnologia mobile é a grande tendência para o mercado de pesquisas?


Sim. Em um mundo cada vez mais digital, a expectativa é que as pesquisas realizadas por meios virtuais se tornem uma tendência duradoura. Atualmente, existem 2 bilhões de usuários do WhatsApp no mundo inteiro e 93% dos brasileiros usam o app diariamente. Ao combinar conhecimento, experiência, tecnologia e inovação, construímos uma solução para todos aqueles que precisam dialogar e analisar grupos sociais e compreender suas necessidades e desejos de forma simples, fácil e sem complicação.


FOTO / Divulgação CC / Ipimob







BOA NOTÍCIA GERA NOTÍCIA BOA!

OFERECIMENTO

1/1