Itatiaiuçu fecha acordo com IBRAM e AMIG para diversificação econômica

Parceria visa a redução significativa da dependência da atividade minerária.


Foto: Divulgação/CC


Uma cidade adormecida, que despertou para o seu alto potencial para a atração de negócios e está caminhando a passos largos rumo ao seu desenvolvimento econômico e à sua independência da atividade minerária. Com uma população estimada em 11.354 habitantes (IBGE 2021) e receita na casa dos R$ 141 milhões ao ano (2021),


Itatiaiuçu acava de aderir ao Programa de Diversificação Econômica, proposto pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) e a Associação de Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil (AMIG).


O acordo revela que a cidade está em busca de novos negócios e caminha rumo ao seu desenvolvimento econômico e à sua independência da atividade minerária.


A assinatura do Protocolo de Intenções foi realizada dia 31 de agosto, na sede da AMIG, em Belo Horizonte, e contou com as presenças do diretor-presidente do IBRAM, Raul Jungmann, do presidente da AMIG e prefeito de Conceição do Mato Dentro/MG, José Fernando Aparecido de Oliveira, e do prefeito em exercício de Itatiaiuçu, Romer Soares das Chagas.


“O convênio representa um compromisso com a diversificação econômica das cidades, já que a mineração é um bem não renovável. Quando a atividade se encerra há redução na arrecadação municipal, impostos, empregos e renda da população. Portanto, é fundamental termos outras atividades produtivas que possam dar sustentação aos municípios para que eles tenham como sobreviver e manter a qualidade de vida de seus habitantes”, afirma Jungmann.


O acordo, que tem abrangência nacional, dará o suporte necessário aos municípios para que todo o processo ocorra de maneira organizada e sustentável, visando identificar e ampliar as oportunidades de investimentos para além da atividade minerária já existente localmente. Itatiaiuçu ocupa a 11ª posição em arrecadação de Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM) no Brasil - sendo 90% da sua arrecadação mensal oriunda desses royalties.


“Inauguramos uma nova era na mineração brasileira pós Mariana e Brumadinho, onde a sustentabilidade, a segurança e a diversificação econômica precisam andar juntas. Não é possível mais falarmos em mineração, sem pensarmos no fim da atividade e no que será feito das cidades, que têm os seus solos explorados, quando esse dia chegar”, afirma o presidente da AMIG.


Distante apenas 70 km da capital mineira, Itatiaiuçu integra a região geográfica intermediária de Divinópolis, que reúne mais de 60 municípios, e foi a segunda cidade a participar da nova dinâmica de fortalecimento da economia local. A primeira a assinar o convênio foi Nova Lima, em fevereiro deste ano.


O município contará com a cooperação técnica do Instituto de Estudos Pró-Cidadania (PRÓ-CITTÁ), o qual irá atuar nas estratégias de consolidação das ações propostas pelo Programa. “Esse é um trabalho que precisa somar esforços, nesse sentido, precisamos do envolvimento e comprometimento das inciativas pública e privada, sociedade civil organizada, entidades de classe e afins. Ou seja, precisamos buscar essa aproximação entre todos os atores para que o projeto saia do papel e a população já comece a colher os frutos dessa parceria”, afirma Romer.