Livros Pensantes



Fantasia, ficção, não ficção, biografia, romance, didático, filosofia, erudito, clássico, moderno, etc; tantas opções, mas apenas um ponto importante: leia! Leitura por prazer, por obrigação, não importa o quê, como ou onde, só leia. Não existe nada nesse mundo tão reconfortante ou prazeroso como se perder em um bom livro, em descobrir novas coisas ou mundos. 

   

Livros nos permitem viajar - às vezes até pelo tempo - sem sair do lugar, um clichê antigo mas acurado. Eles também nos proporcionam autoconhecimento quando suas leituras são feitas com atenção.

Esses são os melhores tipos de livros, os que chamo de pensantes porque - como o adjetivo já demonstra - nos fazem pensar e talvez até descobrir alguma coisa de nós mesmos que desconhecíamos. Eles contam algo que precisávamos escutar ou saber naquele momento. Eles deixam uma marca e uma sensação de quero mais. Ficam na lembrança e causam até a chamada “ressaca literária” pós-leitura. 

   

Tem livros que vamos gostar e querer mais independente do momento, outros que não conseguimos terminar nem por decreto. Contudo, existem aqueles livros que são dependentes do momento em que estamos vivendo, pois eles nos mostram coisas que não conseguimos ou queremos ver ou enxergar. Esses ficam com a gente por mais tempo, eles trazem uma lição importante e sempre relembraremos deles com carinho, mas não sei se devemos relê-los. Depois que o momento passa, eles deixam de ter seu apelo principal e não conseguiremos recuperar aquele primeiro sentimento, então, ficaremos meio perdidos e tristes, às vezes até com raiva, porque não encontraremos mais aquele conforto necessário. 

   

Porém, uma ressalva se faz necessária: não leia para impressionar os outros! Na verdade, ninguém se importa realmente com o que você está lendo - ou fala que está lendo. O que querem saber realmente é se o seu conhecimento está sendo expandido com essas leituras e isso, meus caros leitores, não é possível de fingir ou mentir. O conhecimento é binário: você tem ou não tem. Conseguimos ler sem aprender ou até aprender ser ler, mas não conseguimos saber só por ter lido alguma coisa. Temos que digerir, aceitar, contradizer, conjecturar e analisar uma leitura para que tenhamos absorvido seu conteúdo. Um livro bem digerido vale por mil “lidos”. Por isso gosto tanto dos livros pensantes. 

   

São livros difíceis, muitas vezes desconfortáveis de ler, não por sua narrativa em si ou estilo de linguagem do autor, mas por nos apresentar um conteúdo que muitas vezes não queremos saber, mas precisamos. Melhor que isso só um livro surpresa, um livro que pegamos para ler por acaso, sem muita expectativa, para passar o tempo, mas que acaba por se tornar algo imprescindível em nossas vidas. Um livro que recomendamos para qualquer pessoa, mesmo quando não nos perguntam nada. É um livro que precisa ser dividido. Até hoje tive a sorte de ter lido vários desse tipo, muitos deles encontrados nas estantes da minha casa, perdidos no mundo de livros da minha biblioteca, só esperando para me surpreenderem. 

   

Então, caro Leitor, espero que você também tenha essa sorte, que saia em busca de sua próxima leitura e encontre algo maravilhoso. Às vezes, as leituras mais magnificas já se encontram em nossas posses. Boa caçada! 

BOA NOTÍCIA GERA NOTÍCIA BOA!

OFERECIMENTO

1/1