Mater Dei Salvador abriga avançada Central de Material Esterilizado

Setor do hospital conta com equipamentos e tecnologias que evitam a disseminação de microrganismos e a possível contaminação dos pacientes.

Inaugurado neste mês, o Hospital Mater Dei Salvador já virou referência na área de segurança dos pacientes durante a realização de procedimentos, exames ou internação. A unidade conta com uma das mais avançadas Centrais de Material Esterilizado (CME) do Brasil, que busca sempre fortalecer a prevenção e o controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAs), também conhecida como infecção hospitalar. O setor, que fica no 14º andar do prédio, tem uma área de 450 metros quadrados, com estrutura de equipamentos de alta tecnologia que realizam ciclos de alto nível de limpeza, desinfecção e esterilização dos materiais e instrumentos hospitalares, com o objetivo de evitar a disseminação de microrganismos como fungos, bactérias e vírus e a contaminação dos pacientes.  “O parque tecnológico da CME do Hospital Mater Dei Salvador possui aparelhos de última geração. A Rede Mater Dei não mediu esforços para trazer o que há de mais moderno no mundo. Com o uso de tecnologias sustentáveis, a fim de diminuir os índices de desperdício de água e de consumo elétrico ao mesmo tempo que proporciona maior produtividade”, afirma o diretor da rede, Fábio Mascarenhas Silva. Há quatro esterilizadoras, sendo três de alta temperatura e uma de baixa temperatura, três termodesinfectadoras, que realizam a lavagem, o enxágue, a desinfecção térmica e a secagem automática de instrumentos e utensílios hospitalares. Existem ainda três lavadoras ultrassônicas, que permitem melhor atuação com acessórios de cirurgia robótica e uma lavadora de carros de transporte que otimiza o trabalho dos colaboradores e minimiza a necessidade de esforços manuais.  “A CME é um setor muito importante dentro do hospital. É onde são processados e esterilizados todos os materiais que vão ser utilizados em todo tipo de procedimento, dos mais simples aos mais complexos, com objetivo diagnóstico ou terapêutico. Com isso, nós conseguimos garantir a segurança de que aquele material vai ser utilizado sem conter microrganismos, garantindo a realização de procedimentos seguros para o paciente e, evitando, principalmente, a ocorrência de infecções” afirma o coordenador da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, o médico infectologista Victor Castro Lima. O projeto arquitetônico da CME do Hospital Mater Dei Salvador proporciona a otimização do fluxo de trabalho ao seguir as melhores práticas e as normativas brasileiras. Um aspecto importante é a divisão de áreas com barreiras sanitárias, que evitam o cruzamento de ar entre os espaços destinados aos materiais sujos e os espaços com materiais esterilizados, promovendo mais segurança aos colaboradores e pacientes.  “A CME do Hospital Mater Dei Salvador possui um fluxo de atendimento muito seguro. Foi projetada com barreiras sanitárias que mantêm o ambiente dos materiais sujos totalmente isolados dos materiais limpos. Além disso, todos os equipamentos são de alta tecnologia, proporcionando maior controle do processo e uma desinfecção de alto nível, com mais agilidade e eficácia na esterilização de materiais”, afirma o gerente de engenharia de manutenção do Hospital Mater Dei Salvador, Ely Dias Duarte Neto. Não só em Salvador que a Rede Mater Dei se preocupa com as IRAs. A rede toda mantém o Programa de Controle de Prevenção de Infecção Hospitalar, que implementa medidas assistenciais de prevenção baseadas em monitoramento de adesão dos profissionais para evitar que a contaminação infecciosa ocorra dentro de suas unidades hospitalares.  A higienização das mãos é uma das estratégias mais eficientes para reduzir a transmissão de microrganismos e infecções. Outros eixos importantes de prevenção são o controle do uso adequado dos dispositivos hospitalares e a esterilização adequada dos mesmos. O objetivo é infecção zero.


FOTOS / Divulgação CC / RMD Salvador

Posts recentes

Ver tudo

Glouton