Raisa Lage inaugura mostra Serra do Cipó

Neste sábado, 26, A artista Raisa Lage retorna ao circuito das exposições exibindo uma série de 20 aquarelas com a mostra "Serra do Cipó e outros Caminhos". Além do famoso destino turístico, as obras flertam com outras histórias, como o Parque Municipal.


Cores leves, às vezes frias, se misturam com cores quentes ou sutis, mas os tons do sépia também estão presentes nos quadros, que revelam a perspectiva poética de uma artista para quem paisagens e objetos do cotidiano adquirem novo olhar a partir de seu traço delicado. São instantes que emocionam, segundo ela, captados com sensibilidade.


Formada em Belas Artes e em Letras pela UFMG, a inclinação para a arte vem desde menina, quando começou a fazer seus primeiros desenhos influenciada pela mãe, Gilka Lage, que também era pintora. No período da faculdade, a artista contou com grandes mestres, nomes conceituados que a guiaram, como Madu, Haroldo Mattos, Amílcar de Castro, Álvaro Apocalipse, Liliane Dardot, Jarbas Juarez -, que tiveram papel relevante no seu aprendizado.


Assim como a passagem por galerias de artes relevantes de Belo Horizonte - a Marchand d'Art e a Pace Galeria – contribuiu para afinar seu conhecimento e gosto estético. Sua produção foi incorporada em diversas coleções particulares. A partir de 1991, tornou-se professora de aquarela e, atualmente, dá aulas em seu atelier, no icônico edifício Maletta.


Apesar de ter se graduado em desenho e escultura pela Belas Artes, foi na aquarela que Raisa encontrou seu caminho. Flores, paisagens, plantas e frutas se destacam no seu trabalho. Com várias exposições individuais e coletivas no currículo, sua última mostra aconteceu em 2019, em Pará de Minas, sua terra natal: um encontro espiritual entre o trabalho da saudosa mãe, que pintava óleos, e o seu.


Sobre a artista, o crítico de arte Márcio Sampaio escreveu: "...Aprendeu a utilizar na medida exata dos recursos técnicos da aquarela, fazendo deles o meio para imprimir ao papel a riqueza, o sentido poético daquilo que é comum - no tempo simples, cotidiano, com as naturezas mortas e as flores; e misterioso, com suas paisagens".


Segundo o editor Alexandre Ribeiro Machado, "a Livraria da Rua é um espaço para estimular e ligar os sensores. Um lugar de contemplação. As pessoas precisam entender que apreciar o 'belo' faz bem. A exposição de obras de arte é um dos caminhos. E as obras de Raisa são chaves que ativam os sensores".



Fotos: Divulgação


Serviço:

Mostra Serra do Cipó e outros Caminhos por Raísa Lage

  • Abertura: 26 de novembro, das 12h às 15h

  • Local: Livraria da Rua

  • Rua Antonio de Albuquerque, 913 – Savassi

  • Visitação: de 26/11/22 à 14/01/2023


Posts recentes

Ver tudo

Per Lui