Obra de artista alagoano convida para uma reflexão sobre o mar e meio ambiente

Exposição gratuita de Diego Barros é dica para quem está na capital paulista, durante o feriado de 15 de novembro

"Petrol Ocean” que ressalta a técnica de tinta acrílica, resina e petróleo em tela de 80x60cm (Foto: Arquivo Pessoal)


Para quem está em São Paulo aproveitando o feriado e gosta de artes plásticas uma atração gratuita é a exposição do artista plástico Diego Barros. “O Astronauta Nu” está em cartaz até o dia 25 de novembro, no Centro Cultural dos Correios, no Centro Histórico da capital paulista.

Um dos destaques é a obra “Petrol Ocean” que ressalta a técnica de tinta acrílica, resina e petróleo em tela de 80x60cm. Segundo ele sua inspiração veio de uma das invasões de nas praias de Alagoas. “Foi exatamente em agosto de 2019, quando milhares de toneladas de óleo cru invadiram o oceano atlântico, devastando tudo que vinha pela frente”, conta.


Viagens diversas

Nesse período ele visitou as praias e indignado recolheu amostras e fez testes. “Foram várias viagens, náuseas e muitas alergias até́ chegar ao resultado: uma tela, uma imagem vista de cima - onde o tsunami de óleo invadiu a costa brasileira”, acrescenta.

Diego pintou com o próprio petróleo, a resina ajudou a petrificar aquela forma de piche com cheiro forte Foi assim que ele criou a tela “Ocean”, que virou uma série: um respeito à natureza e a vida marinha.

"Na linha “Ocean”, Diego Barros abre sua janela imagética e se debruça sobre o oceano, sobre o mar e sua imensidão, mas, como sempre, propõe um olhar crítico e nos faz pensar sobre as milhares de toneladas de óleo cru que invadem nossas praias, devastando e matando o que encontra pela frente, Diego transborda com a fúria de quem não apenas observa, mas sente, no corpo, as consequências desses lamentáveis desastres em desordem", declara o curador Henrique Gomes.


Lúdico e o real


A arte de Diego Barros se localiza entre o lúdico e o real, entre o conceitual e o pragmatismo. Seu vasto repertório simbólico ora tangencia a pop-art, ora conversa com o academicismo, e por isso mesmo mostra-se rico, expressivo e repleto de possibilidades transgressoras é assim que ele é conhecido por curadores e artistas na sua cidade.

O universo, de fato, é infinitamente vasto e existe muito ainda a ser desvendado - mas, mesmo assim, sabemos mais sobre ele do que o próprio oceano. Cerca de 90% do mar ainda não foi mapeado e conhecemos apenas 1/3 da sua biodiversidade.

Diego Barros já teve trabalhos expostos em exposições individuais e coletivas e também vendeu obras para vários estados brasileiros, assim como para Europa, Canadá e Estados Unidos. “Realizar esta exposição em São Paulo me traz emoções fortes e complexas: o Club, primeiro clube criativo do País, é referência em inovação e receber o convite para inaugurar um novo projeto artístico da casa é muito gratificante", afirma o artista.

Nascido em 1986, em Maceió (AL), ele foi criado no bairro do Pinheiro. Sua inclinação à arte vem desde os três anos de idade, através de pinturas e desenhos e sua infância é marcada por discos clássicos e histórias peculiares que o intrigam até hoje.


Serviço


  • Data: até 25 de novembro

  • Local: Centro Cultural dos Correios (Praça Pedro Lessa, s/n – Centro Histórico de São Paulo)

  • Funcionamento: segunda a sábado, de 10 às 17h. Fechado domingo.

  • Entrada gratuita