Via Streaming: dicas da semana

por Kreitlon Pereira


O longa da Pixar é um “spin off” que conta como o boneco astronauta se tornou tão famoso no universo de “Toy Story” (Foto: Divulgação)


“Lightyear”


Desde que estreou em 1995, “Toy Story” tem sido uma das franquias de filmes animados mais famosas e lucrativas da Pixar, entrando para a lista de clássicos da empresa. Com quatro filmes, a história dos bonecos que ganham vida quando ninguém está olhando recebeu mais um “spin-off” em 2022, dessa vez concentrado na figura emblemática do astronauta Buzz Lightyear, cuja chegada à coleção de brinquedos do garoto Andy, liderada pelo xerife Woody, inicia toda a história original. O filme leva o título de “Lightyear”, teve seu lançamento nas telas de cinema do mundo todo em junho e já se encontra disponível na Disney Plus desde o dia 3 de agosto.


Apesar de estar inserido no universo de “Toy Story”, a nova empreitada da Pixar não menciona mais nenhum de seus personagens além de Buzz. Na verdade, a trama se apresenta como o filme assistido por Andy que o cativou tanto a ponto de comprar o boneco do seu protagonista. É uma espécie de metalinguagem, mas que não necessita do conhecimento dos demais filmes para ser compreendida e apreciada. Além disso, possui um dos traços mais fotorrealistas das animações da Pixar, mais um esforço de aparentar ser o live-action assistido por Andy.


Em “Lighyear”, acompanha-se a dupla de patrulheiros espaciais Buzz e Alisha que, juntamente com um recruta, são enviados em uma missão. Porém, quando a prepotência do protagonista toma conta, ele acaba cometendo um erro que colocará em risco toda a missão e acaba aprisionando todos os tripulantes em um planeta hostil. Ao longo de anos, o personagem se dispõe a fazer uma série de voos experimentais na esperança de se redimir pelo seu erro. Apesar de ser um filme infantil, existe um quê dramático característico dos filmes da Pixar que permite a abordagem de temas adultos como o egoísmo, a ganância e o companheirismo – além de uma representatividade LGBTQIAP+ surpreendente e importante.


Confira o trailer de “Lightyear”:



Conflitos no reino dos sonhos


Aclamada série de quadrinhos de Neil Gaiman, “Sandman” ganha sua primeira adaptação visual na Netflix. (Foto: Divulgação)


Um dos nomes mais fortes da literatura de ficção das últimas décadas, Neil Gaiman é autor de histórias em quadrinhos e livros que conquistaram o mercado, tendo, inclusive, lhe rendido diversos prêmios e o status de autor de bestsellers mundiais. Com universos e formas narrativas próprias, o trabalho de Neil vem sendo adaptado – de forma bem sucedida – para as telas há bastante tempo, em produções como “Coraline” (2009), “Deuses Americanos” (2017) e “Good Omens” (2019). Dessa vez é a hora de “Sandman”, a sua série de quadrinhos mais aclamada pelos fãs e que chega à Netflix com o mesmo nome, em forma de série original, no dia 5 de agosto.


A produção tem como protagonista Morpheus (Tom Sturridge), a personificação do deus dos sonhos que governa o mundo do subconsciente do sono. Junto com outros sete seres chamados de Perpétuos, ele é responsável por controlar uma parte da existência. A história começa quando o seu personagem principal – já exausto de suas obrigações – se deixa capturar pelo mágico chantagista Roderick Burgess (Charles Dance), que juntamente com uma legião de seguidores, tinha como plano capturar a figura da Morte e viver para sempre. Durante todo esse tempo preso, o reino de Morpheus fica abandonado ao caos, controlado apenas pelo sua mais confiável aliada Lucienne (Vivienne Acheampong), que “segura as pontas” na sua ausência.


Depois de mais de 100 anos preso, Morpheus finalmente consegue escapar de Burguess no ano de 2021 e precisa encarar o grande desafio de recuperar o que anos de abandono causaram em seu reino, mesmo estando bastante debilitado. Assim, irá embarcar em uma jornada para recuperar seus objetos mágicos – um rubi, um elmo e um saco de areia. Ao mesmo tempo, o protagonista irá enfrentar diversos desafios e terá que interagir com a sua complicada família de seres mágicos, que inclui figuras emblemáticas como a Morte, Lúcifer e Dee.


Confira o trailer de “Sandman”:


Temor profundo


Caso do time de futebol que ficou preso em caverna durante 12 dias na Tailândia ganha filme da Amazon Prime Video. (Foto: Divulgação)


Em 2018, o mundo acompanhou um dos resgates mais dramáticos e perigosos dos últimos anos. Tudo começou com um time de futebol buscou abrigo em uma caverna durante uma tempestade na Tailândia e acabou ilhado a quatro quilômetros de distância da única entrada da caverna.

Presos durante 13 dias, o grupo dos “Javalis Selvagens” era formado por 12 meninos entre 11 e 16 anos e o seu técnico. Devido às condições da caverna e as chuvas incessantes, os melhores mergulhadores do mundo foram convocados para a operação de resgate, que durou três dias e contou com a participação de mil pessoas no total, tendo mobilizado todo o país e conseguido resgatar todos com vida.


Um caso tão extraordinário desses tomou grandes repercussões, inclusive em forma de documentário – com o “The Rescue” de 2021, disponível na Disney Plus. Mais recentemente, a Amazon Prime Video anunciou a estreia do original “Treze Vidas - O Resgate” no dia 5 de agosto. O longa irá contar a história do caso dos “Javalis Selvagens” pela ótica de dois mergulhadores de elite britânicos, vividos pelos atores Viggo Mortensen e Colin Farrell, que participaram ativamente da operação. Apesar das gravações terem sido realizadas na Austrália, o elenco equilibra astros internacionais com atores tailandeses, conferindo maior veracidade à narrativa.


Como o filme é centrado nos bastidores da equipe de resgate, foi necessária uma enorme preparação física e mental por parte dos seus atores, que passaram a maior parte do tempo em filmagens debaixo d’água. Um de seus protagonistas (Farrel) não sabia nadar, o que tornou tudo mais desafiador ainda. Mais do que os aspectos técnicos, “Treze Vidas – O Resgate” é um filme que celebra o espírito de colaboração de todo um país que se uniu ao redor de uma causa, além de prestar sua devida homenagem àqueles que contribuíram de alguma forma para o resultado inacreditavelmente positivo que a operação conseguiu ter.


Assista ao trailer de “Treze Vidas - O Resgate”:



Curta a página da coluna “Via Streaming” no Facebook.


BOA NOTÍCIA GERA NOTÍCIA BOA!

OFERECIMENTO

1/1