• junho 16, 2024
  • 5 minutos

Plop Champagne: Maison Penet chega ao Brasil

Plop Champagne: Maison Penet chega ao Brasil

Um grande pequeno produtor de Verzy, importado pela Weinhauss

Luisa Fonseca, colunista
Plop Champagne: Almoço de lançamento da Maison Penet no Brasil
Almoço de lançamento da Maison Penet no Brasil (Foto: Luisa Fonseca)

Tive o privilégio de conhecer esse produtor em Verzy há alguns anos, sendo recebida de forma singular pelos proprietários, na casa deles. Nesse dia eu tomei todos os rótulos da Maison (muitos!) e me encantei completamente pelo nível da qualidade e da complexidade daqueles champagnes.
Desde então me tornei fã dos produtores, que além da qualidade, são cheios de simpatia. E não se esqueceram de mim quando conseguiram trazer o champagne deles ao Brasil: avisaram prontamente ao importador, Olavo da Weinhauss, que com toda a delicadeza do mundo me convidou para um almoço de lançamento.

Leia mais:

Fotógrafo mineiro lança “Treelogia” e revela conexão homem e natureza

Fui a São Paulo exclusivamente para esse evento, um delicioso almoço harmonizado com os cinco rótulos da Maison que a Weinhauss está trazendo ao Brasil. Com a presença virtual do produtor, pudemos ouvir um pouco mais das características e informações de cada champagne, aumentando ainda mais minha admiração por esses produtores, e claro, pela riqueza de detalhes e organização do evento pela importadora.
Os rótulos disponíveis no Brasil são: Alexandre Penet Premier Cru Réserve Perpétuelle Extra Brut (R$660), Alexandre Penet Grand Cru Blanc de Noirs Nature (R$850), Lieu-Dit Grand Cru Terroir & Sens Blanc des Blancs (R$1.200), Lieu-Dit Grand Cru Terroir & Sens Rosé Extra Brut (R$1.300) e Lieu-Dit Grand Cru “La Croix L’Aumonier” Blanc de Noirs 2011 (R$1.800).

Um pouco mais sobre a Maison Penet

A família Penet começou a produzir champagnes em 1930, adquirindo em 1940 o casarão que hoje ainda é sede da produção e casa dos produtores. Em 1967, do casamento de Christian Penet com Marie Chardonnet, surgiu a Maison Penet Chardonnet, somando as videiras de Verzenay que eram da família dela, totalizando os seis hectares de vinhedos Grand Cru de sua produção.
Atualmente a casa é comandada pela quarta geração da família, o enólogo Alexandre Penet, que hoje tem 15 rótulos únicos e que expressam perfeitamente os ‘micro terroirs’ dessas vilas. Com foco em baixa dosagem e sustentabilidade, Alexandre mantém técnicas clássicas como o uso da prensa tradicional Coquard e um longo envelhecimento antes de engarrafar, evitando intervenções no vinho, além do também longo tempo em garrafa, potencializando sua evolução e complexidade.
As vilas Grand Cru da Montagne de Reims, Verzy e Verzenay, são muito próximas e têm como característica a maioria das plantações de Pinot Noir, assim como a Maison Penet, com 2/3 de seus hectares dessa variedade.
Dentre seus 15 exemplares, foi feita uma linha de Single Vineyard Vintage, os Lieux-Dits, com o melhor de seus ‘plots’ (parcelas de vinhedos) em anos excepcionais: um espetáculo à parte que permite compreender o solo com grande pureza – nenhum dos champagnes passa por fermentação malolática, para preservar a acidez natural e tão característica.
Além disso, alguns champagnes de entrada da linha ‘Alexandre Penet’, que ficam no mínimo três anos em maturação (o mínimo para NV são 12 meses sobre lias) surpreendem pela elegância e sutileza, como o Extra Brut Premier Cru (Pinot e Chardonnay das Grand Cru Verzy e Verzenay, e Meunier Premier Cru) que passa por barrica no sistema Solera, o que concede aromas da madeira ao blend, mas com muita leveza.
Plop Champagne recomenda fortemente esses grandes champagnes, que agora com muita alegria, anuncio que temos no Brasil.

 

Onde adquirir? Weinhauss importadora: @weinhaus_exzellenz

Leia mais:

Mater Dei Contorno comemora aniversário e conquistas