• junho 21, 2024
  • 3 minutos

Hospital da Baleia oferece tratamento para crianças com fissuras de lábio

Hospital da Baleia oferece tratamento para crianças com fissuras de lábio

Em Minas Gerais, crianças com Fissura Labiopalatina têm atendimento multidisciplinar; a doença é uma condição congênita que afeta aproximadamente uma criança a cada 650 nascimentos no Brasil

 

crianças tratamento Hospital da Baleia
Em comemoração aos 80 anos do Hospital da Baleia, os pacientes do Centrare participarão de uma atividade lúdica com pinturas e fotografias (Foto: Divulgação/Comunicação Hospital da Baleia)

 

 

 

No Brasil, em 24 de junho é comemorado o Dia Nacional da Conscientização Sobre a Fissura Labiopalatina, uma malformação craniofacial que afeta uma em cada 650 crianças nascidas no país. Em Belo Horizonte, o Hospital da Baleia oferece tratamento especializado por meio do Centro de Tratamento e Reabilitação de Fissuras Labiopalatinas e Deformidades Craniofaciais (Centrare), onde mais de 6.800 crianças e adolescentes estão em tratamento.

 

 

 

Leia mais:

Pioneiro: ônibus elétrico com bateria de nióbio é lançado em Araxá

 

 

 

De acordo com a enfermeira coordenadora do Centrare, Camila Alkimin, o Centrare oferece um atendimento multidisciplinar que inclui cirurgias plásticas e acompanhamento por especialistas como otorrinolaringologistas, ortodontistas, fonoaudiólogos, pediatras, nutrólogos, assistentes sociais, psicólogos e outros e todas as semanas, especificamente às quartas-feiras, oito novos pacientes são encaminhados para a equipe.

 

 

Nos pacientes com fissuras de lábio e palato – céu da boca, até os dois anos de idade são feitas, geralmente, duas cirurgias. Na primeira, com menos de um ano de idade, fecha os lábios. Na segunda, opera-se o palato. “Essas primeiras intervenções são importantes para o desenvolvimento da criança, pois as más formações abrem portas para infecções e dificuldade na alimentação. Outras cirurgias podem ser realizadas ao longo dos anos de desenvolvimento da criança, podendo se estender até os 18 anos, em alguns casos”, reforça Camila.

 

Atividade lúdica no hospital

 

Na segunda-feira (24), de 11 às 14 horas, com o objetivo de celebrar a data e em comemoração aos 80 anos do Hospital da Baleia, os pacientes do Centrare participarão de uma atividade lúdica com pinturas e fotografias, cujos trabalhos farão parte da exposição “80 Cores de alegria”, em outubro, durante as festividades do aniversário do hospital.

 

 

A fissura labiopalatina é uma condição congênita que afeta aproximadamente uma criança a cada 650 nascimentos no Brasil, resultando em aberturas nos lábios, céu da boca, nariz e outras áreas ósseas devido ao desenvolvimento incompleto durante a gestação. Essa condição pode causar prejuízos na alimentação, infecções e afetar o desenvolvimento infantil.

 

 

 

Leia mais:

Exposição reúne canários exóticos e domésticos em BH